Aproximadamente 32,8 milhões de brasileiros tiveram o Auxílio Emergencial negado.

Se você faz parte desse número, acompanhe o artigo até o final e saiba o que deve ser feito.


O Auxílio Emergencial de R$ 600,00 é destinado a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais.

Sobretudo visando amenizar os impactos causados pela pandemia Covid-19 sobre a população de baixa renda.

Entretanto, muitas pessoas contavam com esse benefício e tiveram o auxílio negado.

Entenda a seguir quais motivos podem levar à reprovação e como recorrer o Auxílio Emergencial negado.

Segunda Parcela do Auxílio Emergencial – Atualizado!

Auxílio Emergencial Negado: motivos

Como adiantamos, 32,8 milhões de pessoas solicitaram o Auxílio Emergencial e foram considerados inelegíveis para receber esse recurso.

O número foi divulgado pela Dataprev e refere-se aos cadastros analisados entre 7 e 22 de abril de 2020.

CTPS- AUXÍLIO EMERGENCIAL NEGADO

De acordo com a Caixa Econômica Federal, responsável pelo pagamento do Auxílio, as principais inconsistências no cadastro que podem levar a ter o benefício negado são:

  • Marcar ser chefe de família sem indicar nenhum dependente;
  • Não informar o sexo;
  • Dados incorretos de membros da família, como data de nascimento e CPF;
  • Inclusão de pessoa da família já falecida.

Os inscritos no CadÚnico já têm seus dados analisados automaticamente pelo Dataprev sem precisar fazer o cadastro pelo site ou aplicativo do Auxílio Emergencial.

Porém há diversos relatos de pessoas enquadrados em todos os requisitos de receber o Auxílio Emergencial e preencheram corretamente o cadastro.

No entanto, infelizmente tiveram o Auxílio Emergencial negado.

Como recorrer em caso de Auxílio negado

Conforme divulgado em matéria da Agência Brasil, quem teve o Auxílio Emergencial negado pode contestar a análise ou pedir o benefício novamente pelo site ou aplicativo Auxílio.

Então no site ou aplicativo, o cidadão deve clicar em “Acompanhe sua solicitação“.

Em seguida é preciso informar o número do CPF e um código numérico (enviado através de sms ao telefone cadastrado durante a solicitação).

Na sequência aparecerá a mensagem “Auxílio Emergencial não aprovado” e o motivo da recusa, “Dados inconclusivos” ou “Cidadão com emprego formal“.

Então é possível contestar o motivo da negativa ou fazer uma nova solicitação. No caso de quem recebeu a mensagem “Dados inconclusivos“.

Sobretudo, aqui vale lembrar quais são os critérios para receber o Auxílio Emergencial:

  • Ser maior de 18 anos;
  • Sem estar empregado formalmente em empresa pública ou privada;
  • Não receber benefícios previdenciários, assistencial ou seguro-desemprego, nem ser membro de programa de transferência de renda (exceto o Bolsa Família);
  • Ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar total de até três salários mínimos;
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

Até dois membros da mesma família podem receber o Auxílio Emergencial.

Novo site para consultar situação do Auxílio

O governo lançou um novo site para acompanhamento dos pedidos de Auxílio Emergencial.

Para fazer a consulta é preciso informar os seguintes dados:

  • CPF;
  • Nome completo;
  • Nome da mãe;
  • Data de nascimento.

Além do resultado do pedido, o site informa as datas de pagamento e envia os dados pela Caixa à Dataprev.

Sendo assim como o motivo da reprovação, em caso de Auxílio Emergencial negado.

Então esperamos ter esclarecido suas dúvidas sobre o que fazer em caso de Auxílio Emergencial negado.

Se preferir, veja como funcionar o Seguro Desemprego MEI aqui!

Compartilhe: